03/10/2013

- Cidade do Vaticano, 13 de Março de 2013 (Zenit.org

A missão cristã no mês missionário

Na Igreja, o mês de outubro é dedicado à missão, por isso usa-se o termo “mês missionário”. É um mês motivador que tem por fim levar a cada um a responsabilidade de reassumir os compromissos batismais na família, na comunidade e na sociedade. É um tempo forte onde a graça de Deus se manifesta em cada coração missionário que se disponibiliza a levar a Palavra viva a todas as pessoas.

O Espírito Santo torna missionária toda a Igreja (cf. a carta Missão do Redentor, nº 26, do beato João Paulo II), ela nasce e floresce da missão! Ser missionária faz parte de sua natureza, por isso toda Igreja sai em missão, tendo como ponto de partida o anúncio do Evangelho de Jesus Cristo: “com efeito, uma das finalidades centrais da missão é reunir o povo de Deus na escuta do Evangelho, na comunhão fraterna, na oração e na Eucaristia” (cf. idem).

A missão não é de “pessoas”, mas sim de Jesus Cristo, que numa palavra de ordem e comprometedora disse aos seus discípulos “IDE” (cf. Marcos 16,15) e a força desta palavra continua a ecoar nos tempos atuais.

Ser missionário exige do cristão um coração livre, despojado de tudo e principalmente abertura pessoal e comunitária para então responder com amor, zelo e fidelidade pastoral aos desafios próprios da missão.

O mês de outubro é um tempo forte de reflexão, onde cada um tem a possibilidade de entender que ser missionário não é somente sair de um local para o outro, pelo contrário, a reflexão da Igreja neste mês missionário é fazer a missão acontecer primeiramente no local em que cada um se encontra, através de caravanas missionárias, missão de porta em porta, etc... o que importa é ser missionário. Mas o que é ser missionário? De forma resumida, é ter disposição para sair de si e ir ao encontro do outro, é sair da sua própria casa e adentrar na casa do outro.

Este tempo missionário tende a criar no cristão um novo ardor e um forte desejo de sair para ir ao encontro de novas realidades, oferecendo-o novo jeito de olhar a vida e consequentemente, um novo jeito de ser Igreja. Por isso, neste mês de outubro a Igreja trabalha com afinco afim de que se levante uma nação de cristãos missionários comprometidos com a causa do Reino de Deus, pois todo cristão só se torna fiel à sua vocação se ele estiver imbuído deste espírito missionário e com o coração aberto para se configurar ao Cristo Bom Pastor buscando a vida nova pelo batismo. “Esta nova vida é dom de Deus, e, ao homem pede-se que a acolha e desenvolva, se quiser realizar integralmente sua vocação, conformando-se a Cristo” (cf. carta Missão do Redentor, nº 7).

A Igreja no Tocantins, assumindo o espírito desse mês de outubro, realizará de 18 a 20 o seu 1º Congresso Missionário, na cidade de Guaraí-TO. Será uma oportunidade de unir as forças missionárias do nosso Estado em um único projeto de evangelização!

Por fim, Jesus Cristo mostra que são dois os movimentos do amor: sair de si e entrar na realidade. Portanto, sejamos cristãos que vivam da Palavra anunciada pelo Mestre, sejamos corajosos para entrar na vida dos necessitados, entrar para ser presença, para anunciar e assumir a realidade do jeito que ela é de fato. Sejamos missionários de Jesus Cristo que nos chama e nos envia para os quatro cantos do mundo.

Flávio Barraque Brandão é missionário da Arquidiocese de Palmas e receberá a ordem do diaconato no dia 07 de dezembro.

Email: flaviobb.mineiro@hotmail.com